Moda

Shopping

Sobretudo, Silvian Heach, €182,50
Sobretudo, Mango, €99,99
Casaco, Givenchy, €3.414, na Farfetch.com
Casaco, Asos, €221,99
Casaco, MM6 Maison Margiela, €839, na Farfetch.com

O futuro da Moda é sem pele

COM CADA VEZ MAIS CONSUMIDORES A EVITAR O USO DE PELES VERDADEIRAS, HÁ UMA OPORTUNIDADE REAL PARA A INDÚSTRIA DA MODA SE ADAPTAR, CRESCER E CRIAR SEM O USO DE PELE. POUCO A POUCO, AS GRANDES MARCAS VÃO ANUNCIANDO O ABANDONO DESTA PRÁTICA. FINALMENTE O FUTURO DA MODA PARECE PASSAR PELA AUSÊNCIA DE PELE DE ANIMAIS.

24.08.2018 por Célia Figueiredo

Ainda estamos em pleno verão mas a coleção outono-inverno 2019 já está presente em todas as lojas. Os mais atentos já devem ter percebido das mudanças que se fazem sentir e que vai ser tendência na próxima estação. Falamos do uso de peles sintéticas para as criações. Segundo os especialistas da Moda, “esta é uma vitória moral de todos, pois os consumidores de hoje preferem cada vez mais a versatilidade e suavidade das peles artificiais e querem alinhar os seus valores com os roupeiros como nunca antes”. A indústria da Moda tem vindo a fazer saber dessa sua opção de não querer mais compactuar com o comércio de peles verdadeiras.

No ano passado, foram várias as marcas que anunciaram não usar mais peles de animais. Depois da YOOX Net-a-Porter Group e da VF Corporation, foi a Gucci que chocou o mundo da Moda ao anunciar estar livre de peles. O diretor-executivo da Gucci retoricamente perguntava: “Acha que o uso de peles ainda é moderno? Eu não acho que seja moderno e é por isso que tomámos esta decisão. É um pouco desatualizado… A criatividade pode “pular” em muitas direções diferentes em vez de usar peles”.

Desde então, Versace, Furla, Michael Kors, Donna Karan, Jimmy Choo, Columbia Sportswear  e Rent the Runway anunciaram não usar mais peles verdadeiras. Também a diretora criativa da Givenchy, Clare Waight Keller, demoveu a empresa a abandonar o uso de peles de animais.

Países como a Noruega (que já foi o maior produtor de peles do mundo) e a Bélgica estão a distanciar-se da crueldade contra os animais ao proibir a utilização de peles.

É um progresso bem-vindo ao mundo da Moda, considerando a crueldade animal envolvida na produção de peles. Para além disso, a produção de peles também é ambientalmente tóxica, uma vez que as fábricas de peles e de curtumes são extremamente prejudiciais aos solos e cursos de água.

Com mais e mais consumidores a evitar o uso de peles verdadeiras, há uma oportunidade real para a indústria se adaptar, crescer e criar um futuro sem peles. À medida que esta decisão se tornar norma para marcas e retalhistas – e os países aprovarem legislação que proíba as vendas e importações de pele – existe uma enorme oportunidade para produtores de peles artificiais, marcas de Moda, ambientalistas, defensores dos animais e até peleiros se juntarem e inovarem em materiais sustentáveis sem animais. Além de que os avanços tecnológicos permitirão, em breve, produzir peles verdadeiras em laboratórios sem o sofrimento dos animais ou os impactos ambientais.

0 Comentários

Deixe um comentário

Quer juntar-se à discussão?
Esteja à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *