Nutrição

Novidades

Alimentos de inverno

COM A CHEGADA DO FRIO É NATURAL QUE TENHA VONTADE, E ATÉ NECESSIDADE, DE CONSUMIR ALIMENTOS DIFERENTES DA ESTAÇÃO PASSADA. PREVENIR GRIPES E CONSTIPAÇÕES, EVITAR ALERGIAS E PRIVILEGIAR OS ALIMENTOS DA ESTAÇÃO PELA SUA FRESCURA, SÃO ALGUNS DOS MOTIVOS PARA QUE CONSUMA OS ALIMENTOS DE INVERNO.

14.11.2018 por Célia Figueiredo

Com certeza já reparou que o corpo humano funciona em sincronia com a natureza e com as estações do ano. Em pleno verão, só de pensar em beber um cacau quente, até fica com “calores”. Já se colocar essa hipótese na estação fria – outono e inverno – parece-lhe fazer todo o sentido. E faz mesmo! É o nosso organismo a adaptar-se às temperaturas exteriores e a alimentação é um dos fatores que mais contribui para essa adaptação.

Alguns estudos apontam que durante o inverno, por causa da temperatura mais baixa, alguns sistemas do nosso corpo ficam mais fragilizados. Por exemplo, os rins, a bexiga, os dentes e mesmo os ossos! Isto porque o organismo gasta mais energia para manter a temperatura corporal e para repor esta energia, há um aumento do apetite e maior ingestão alimentar. Há também maior necessidade de reforço do sistema imunitário, e de nos protegermos contra infeções.

Damos-lhe alguns exemplos de alimentos que deve privilegiar no inverno porque são mais apetecíveis, porque nos protegem das maleitas típicas de inverno mas também, porque deve dar prioridade aos alimentos da época. São mais frescos, nutritivos e apresentam maior plenitude nas suas propriedades nutricionais, como a função de provocar a sustentação da vitalidade dos órgãos e vísceras do organismo.

Legumes

Privilegie os alimentos da época como os espinafres, a couve, o repolho, a couve-flor, as couves-de-bruxelas, os cogumelos, as ervilhas, o feijão, a beterraba, o rabanete, a alface folha de carvalho e o agrião. Também a beringela é uma boa opção já que é um alimento pouco calórico. 100 gramas do seu consumo representa cerca de 30 calorias, mas é uma rica fonte em fibras. 

Fruta

Dê preferência ao consumo de laranjas, tangerinas e kiwis devido à presença de vitamina C capaz de estimular o sistema imunitário e prevenir gripes e constipações. Outra opção muito boa é a pera. De fácil digestão é indicada pra quem quer emagrecer porque ajuda a reduzir o apetite, especialmente quando consumida antes das refeições. Pelo seu baixo índice glicémico, ela também favorece o combate da diabetes, pois é das frutas que menos aumenta o açúcar no sangue. Também a romã está cheia de antioxidantes, fitoquímicos, como o betacaroteno, potássio e vitamina C. Pode comer as suas sementes à colher ou como topping de um iogurte magro.

Sopas

Inverno combina com pratos quentes e, por isso, aposte no preparo de sopas, caldos e cremes. Opte por exemplo pela batata-doce que fornece muita energia com hidratos de carbono “saudáveis” e sem elevar muito o açúcar no sangue. Considere substituir legumes que habitualmente usa por outros. As couves-de-bruxelas, ricas em vitamina C, fibra e antioxidantes, ou mesmo o nabo, que tem uma grande concentração de vitaminas, minerais e carotenóides, são também uma grande fonte de fibra, folatos e vitaminas C, E e K.

Não esquecer os líquidos

Os líquidos têm uma função essencial e a regra de beber 1,5l de água por dia mantém-se também no inverno. Já lhe demos a dica do cacau quente e ainda tem a opção das muitas e variadas infusões que pode fazer.

Frutos secos

São uma boa alternativa para lanches. Nada como um punhado de nozes, amêndoas, ou até castanhas, para nos dar aquele boost de energia que precisamos a meio da tarde.

Não se esqueça: a alimentação deve ser adequada em quantidade e qualidade.

0 Comentários

Deixe um comentário

Quer juntar-se à discussão?
Esteja à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *