HÁ ANOS QUE VEMOS OS CARDÁPIOS DAS FIT GIRLS ONDE O ÓLEO DE COCO É INDICADO COMO A MELHOR ALTERNATIVA AOS RESTANTES ÓLEOS E ATÉ AO AZEITE VIRGEM. AGORA SURGE UM RELATÓRIO QUE AFIRMA QUE O ÓLEO DE COCO CONTÉM ALTOS NÍVEIS DE GORDURA SATURADA PREJUDICIAL À SAÚDE.

27.08.2018 por Célia Figueiredo

Sabemos da importância que a alimentação tem na nossa saúde ou falta dela. São muitos os conceitos e muitos os alimentos que ganharam o estatuto de superalimentos. Um deles é o popular óleo de coco, cujas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias foram apregoadas aos quatro ventos. Tudo porque se diz ser uma fonte natural de gordura saturada, rico em triglicerídeos e com benefícios na saúde cardiovascular. Até aqui tudo bem, até porque era visto como um grande aliado para a perda de peso e como o óleo mais saudável de todos, mesmo quando comparado com o azeite virgem.

Mas a polémica foi lançada depois de a American Heart Association (AHA) emitir um comunicado sobre este superalimento, alegando que uma dieta rica em gordura saturada contribui para um maior risco de doença cardíaca.

Segundo a AHA, enquanto o azeite tem 14% de gordura saturada, a banha de porco contém 39%, a de carne bovina 50%, a manteiga 63%, o óleo de coco tem uns impressionantes 82%, desaconselhando, por isso, o seu uso.

Esta tese ficou ainda mais reforçada quando Karin Michels, professora do departamento de epidemiologia da Harvard’s T.H. Chan School of Public Health, nos EUA, concordou com esta alegação, durante uma palestra na Universidade de Freiburg, na Alemanha, e disse que “na verdade o óleo de coco é um dos piores alimentos que se pode consumir”. Karin Michels acrescentou ainda que, era “veneno puro” e que não há nenhum estudo sobre o óleo de coco que comprove os benefícios significativos para a saúde”.

O que fazer? Consumir ou não?

A resposta não é taxativa. Mas devemos então deitar fora o óleo de coco lá de casa e esquecer a teoria do superalimento?! Não. Os especialistas defendem que são necessários mais estudos sobre os potenciais benefícios e riscos do óleo de coco. É sabido que cada colher de sopa de óleo de coco tem 110 calorias. Isto quer dizer que é bastante mais calórico do que a manteiga ou o azeite. Contudo, tem propriedades muito importantes para o organismo, como concentrações elevadas de ácido láurico — um componente presente no leite materno e que é responsável pela saúde do sistema imunitário. Outro ponto a favor é que as propriedades do óleo de coco não são alteradas quando estão em contacto com o calor, como acontece com o óleo de girassol, por exemplo.

Ou seja, não há dúvidas de que tem muitas vantagens mas, como qualquer outro alimento, quando é consumido em excesso, pode ser nocivo. Assim, se ficou preocupado com esta matéria, o conselho é simples: troque o óleo de coco por mais azeite extra virgem ou óleo de abacate, mais saudáveis para o coração.

Olá! Precisa de ajuda?
Powered by